• +351 227 332 010
  • info@sinorplasticos.com

Agricultura - Tubos de Drenagem


Com a nossa TECNOLOGIA, podemos ajudar a produzir árvores de elevada QUALIDADE, onde quer que seja, em qualquer solo, mesmos nos mais INOSPITOS e AGRESTES. CONSULTE-NOS, apresente-nos o seu PROBLEMA, nós AJUDAMOS NA SOLUÇÃO. Em sistemas de multiplicação de plantas, CETAP/SINORPLÁSTICOS é líder de mercado há mais de 25 anos.

Fabrica uma das mais completas colecções europeias de tabuleiros de sementeira para as diversas áreas: Florestação, Fruticultura, Ornamental, Horticultura, Floricultura e Multiplicação Vegetativa. E desenvolve também outros produtos para a agricultura: tubetes e porta-tubetes, fruti-pots, processos direccionados à poda radicular e ao transporte.

Contacte-nos

Sempre prontos para ajudá-lo

  • +351 227 332 010
  • info@sinorplasticos.com
Pedido Informação

TUBO DE DRENAGEM


tubagem em material termoplástico é uma das soluções adoptadas em substituição dos tubos de barro e de cimento. Esta técnica surgiu através de um processo francês que permite obter uma perfuração perfeitamente homogénea que torna o tubo leve e, ao mesmo tempo, suficientemente rígido para resistir ao esmagamento do solo. 

A grande quantidade de orifícios dá uma equilibrada capilaridade ao tubo cuja alta eficiência, segundo indicações de Centros Técnicos Especializados, foi amplamente comprovada através de diversos ensaios efectuados em laboratório e da experiência prática colhida em vários países, sobretudo na Inglaterra. 

Este tubo é fabricado por extrusão contínua, pelo processo TRICAL e contém 12 000 a 24 000 furos por metro, conforme o seu diâmetro de 45, 55 ou 65, e 14 000 a 15 000 furos por metro no tubo de diâmetro de 100 mm, sendo o seu comprimento standard de 5 m. 

Principais características do tubo de drenagem TRICAL-CETAP/SINORGAN:

  • Imputrescível
  • Leve
  • Fácil de colocar
  • De fácil adaptação às ondulações do terreno 



Detalhes Técnicos

TUBO DE DRENAGEM


Modo de aplicação do tubo de drenagem

Profundidade de colocação dos tubos
A profundidade a que os tubos devem ser colocados depende da natureza dos terrenos, do tipo de cultura e do nível a que a água anda no terreno. De qualquer modo, devem colocar-se a uma profundidade tal que não causem transtornos a futuros tratamentos mecânicos do solo – 70 a 80 cm servirá à maioria dos casos.

Diâmetros mais aconselhados
A drenagem deve ser feita com tubos de dois diâmetros diferentes: 65 e 45 ou 100 e 55 mm. Os de diâmetro maior constituirão as linhas mestras da drenagem. Os outros serão tubos de captação das águas (ver imagem). Em muitos casos, os dois tubos poderão ser do mesmo diâmetro.

União dos tubos
Para fazer a união de dois tubos bastará abrir dois rasgos de 5 ou 6 cm na extremidade de um deles. Depois já será fácil introduzir nessa, a extremidade do outro tubo. Seria aconselhável, embora não indispensável, que os tubos de captação penetrassem nos que constituem as linhas mestras através de uma altura rudimentar. Para o efeito, os tubos de captação devem ser cortados em forma de cunha na extremidade que vai entrar no outro tubo para que a abertura a fazer neste seja relativamente pequena.

Quantidade de tubos a utilizar
Os tubos que constituem as linhas mestras deverão ser colocados a cerca de 12 m de distância uns dos outros. Os que constituem a espinha de drenagem ficarão a distâncias variáveis entre 5 e 10 m, conforme a quantidade de água a drenar. Quando não for conveniente encarecer os custos da drenagem e se a solução encontrada já poderá trazer vantagens apreciáveis, aconselha-se a colocação dos tubos de espinha de drenagem a distâncias de cerca de 12 m, admitindo a hipótese de, no caso de os resultados não serem satisfatórios, se vir posteriormente a colocar mais um tubo entre cada dois. Esta solução permite uma experiência que pode resultar, e então tornará mais barata a operação de drenagem. Se não resultar inteiramente, permite que, mais tarde (adiando assim o dispêndio de capital), se complete o trabalho sem acréscimo de custos, pois o trabalho final não ficará mais caro por ser feito duas vezes.

Orientação dos tubos no terreno
​Os tubos que constituem as linhas mestras devem ser colocados no sentido em que a água corre (sentido da inclinação do terreno). A espinha de drenagem ficará perpendicular às linhas mestras e, portanto, ao sentido em que a água corre. Se a seta indicar o sentido da inclinação do terreno, a distribuição e disposição dos tubos será a seguinte:



Detalhes Técnicos

TUBO DE DRENAGEM


Sinalização da drenagem
​Aconselha-se fazer a sinalização da drenagem em todos os casos, mas especialmente quando se pensa em vir a aumentar posteriormente o número de tubos utilizados. A sinalização será feita por meio da planta do terreno onde se assinalará a colocação dos tubos.

Assentamento dos tubos Os tubos devem ser assentes no meio de uma camada de areia grossa ou brita, cuja função é servir de filtro às águas a drenar. A sua eficácia será, portanto, em função da espessura dessa camada. Uma camada de cerca de 5 cm será suficiente. Da função a que se destina essa camada de areia grossa ou brita, deduz-se que a utilização do godo do cascalho, sendo embora melhor do que nada, diminui consideravelmente a sua eficácia. O ideal seria que essa camada de godo do cascalho envolvesse a camada de areia grossa ou brita. Mas, claro que esta solução, inteiramente eficaz, se torna altamente dispendiosa pelo que, na generalidade dos casos, nem deve ser apontada. Facilmente se conclui que se deve evitar a colocação de qualquer produto orgânico à volta dos tubos que, entrando em putrefacção, venha a formar detritos que poderão entupir os furos do tubo. Artigos em plástico para os sectores da Agricultura e Pescas, Redes Plásticas, Tabuleiros para reprodução de plantas, Protectores para plantas, Covos, boias, e outros artigos para a pesca profissional e pesca desportiva



Detalhes Técnicos